Mês: março 2015

NOTA DE ESCURECIMENTO

Estamos vivendo um momento espetacular que ficará na história dos movimentos de mulheres negras do Brasil. Até hoje, nunca se ouviu falar de um ato deste e de tão grande proporção. A MARCHA DAS MULHERES NEGRAS 2015 contra o racismo e a violência e pelo bem viver vem com o intuito de cobrar providências a todas as mazelas a que nós MULHERES NEGRAS sofremos e que compartilhamos, muitas delas negadas pelo feminismo convencional que não reconhecem nossas especificidades e negam a importância de nossa atuação politicamente organizada. Nós estamos nos porões da pirâmide que ilustra a desigualdade do país. Quando um jovem negro é assassinado é a MULHER NEGRA que carrega todas as consequências e sofrimentos. Quando nós MULHERES NEGRAS morremos não é se quer falado – Cláudia foi assassinada – um ano se passou e nada foi feito. Quantas Cláudias morrem todos os dias e não é divulgado por que somos invisibilizadas até para constar nas estatísticas de morte… Somos 49 milhões de MULHERES NEGRAS, que sofremos diariamente o sexismo e o racismo, propagados pelos programas televisivos, literatura desde a infantil até a adulta e em diversos outros meios de comunicação e quando nos erguemos contra esta violência midiática em meio a tantas outras não contamos com o apoio de boa parte das feministas brancas que nos tacham de sectárias por reafirmarmos a necessidade do nosso empoderamento.
Acreditamos que este momento seja de comunhão entre nós, MULHERES NEGRAS, que não tivemos direito sequer à memória de nossas ancestrais como protagonistas de suas e nossas histórias. Este é, portanto, um momento em que esta força ancestral deve transcender gerações e percorrer nossas veias até as netas que se lembrarão da nossa voz, que ecoarão o nosso grito. Não podemos permitir que este se torne um momento de disputa entre nós mesmas, nem tão pouco que nossa meta fundamental se perca entre vozes destoantes que não reconhecem na pele a nossa dor. Como podemos “subir e puxar a outra” se deixarmos nossas irmãs negras relegadas ao esquecimento? Que sentido teria uma Marcha das Mulheres Negras se nossa voz se ergue para silenciar nossas próprias irmãs? Não nos esqueçamos a quem esta Marcha deve representar.
Marcharemos pelas senhoras negras que lutaram por nossa liberdade. Marcharemos pelas meninas negras para que deem continuidade a esta luta. Marcharemos por NÓS, MULHERES NEGRAS para que possamos viver de forma digna e respeitosa, sem que nossos corpos sejam expropriados e nossas almas dilaceradas. E convidaremos todas as MULHERES NEGRAS a participarem. Porque se trata de um momento nosso. Eu quero que a minha mãe além de me ver marchar que venha junto comigo, pois ela, mesmo não tendo o conhecimento teórico de como se estrutura o racismo, conhece-o na pele. COMPARTILHAMOS A MESMA DOR E QUEREMOS DESFRUTAR DA ALEGRIA DE GRITARMOS UNIDAS NUMA SÓ VOZ CONTRA O RACISMO. E mesmo não tendo as armas que eu tenho hoje (que ela me possibilitou ter) ela resistiu e RESISTE.
Somos as PRETAS SIMOA – Grupo de MULHERES NEGRAS do Cariri – e EXIGIMOS que nos respeitem.

 

10462754_1565362310397039_4229678089475997132_n