8 de Março: Tribunal de Rua

No último dia 8 de Março, data do Dia Internacional da Mulher, uma marcha foi realizada em Crato/CE. Movimentos feministas e de mulheres estiveram presentes no centro da cidade, assim como o Grupo de Mulheres Negras do Cariri – o PRETAS SIMOA – que realizou uma intervenção dentro da própria marcha de mulheres, objetivando denunciar a exclusão das mulheres negras nas pautas feministas hegemônicas.

Integrantes do PRETAS SIMOA foram amarradas em postes e árvores, em alusão e em memória de um cidadão negro, com transtornos mentais, que fora preso a um poste na mesma cidade. Para contextualizar as demandas das mulheres negras, estatísticas e dados relevantes foram colados aos corpos das ativistas, chamando atenção para a situação das pretas brasileiras, que lamentavelmente são parte das piores e mais revoltantes estatísticas de exclusão e violação de direitos do nosso país.

Enquanto a marcha de mulheres passava e via as PRETAS SIMOA amarradas e amordaçadas, a integrante Jarid Arraes fez uma fala, no carro de som da marcha, apresentando a razão da intervenção e explicando as estatísticas.

Após a passagem da marcha, as ativistas voltaram à praça de concentração e novamente foram presas aos troncos e monumentos locais. Quando a marcha de mulheres retornou, se deparou com a intervenção. As mulheres da marcha colocaram cartazes e faixas no centro da praça, em frente a militante Karla “AgreSilva” Alves, que se encontrava presa ao obelisco principal.

Karla posteriormente se soltou, e empunhando um megafone declarou palavras de ordem e protesto diante do racismo dos movimentos de mulheres do Cariri e do Brasil, exigindo que as feministas brancas se deslocassem de seus locais de conforto para ouvir e atender as demandas das mulheres negras. Karla usou termos como “sinhá” para gerar desconforto e tornar explícito o privilégio da branquitude feminina.

Após Karla, as ativistas Dayze Vidal e Elandia Duarte também fizeram suas falas, provocando a necessidade de se enegrecer as lutas de mulheres, entre palavras de confronto e de combate ao machismo.

Para ver todas as fotos da intervenção, clique aqui e visite nosso álbum em nossa página do Facebook. Fotos por Jarid Arraes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s